GWENDOLYN VAN DER VELDEN

Gwendolyn van der Velden (NL, 1972). Vive e trabalha em Lisboa.
Van der Velden é licenciada pela Academia Voor Beeldende Vorming, em s´- Hertogenbosch, com pós-graduação pelos De Ateliers, em Amsterdão.
A artista trabalha o desenho como disciplina transversal, do papel para o palco e para a performance.


"Van der Velden, é mulher, artista, mãe, imigrante bi-racial a viver e trabalhar em Lisboa desde 2009. A sua natureza e identidade posicionam-na em vários campos de discussão, com uma perspetiva própria que cria sistemas de relação inter-dependentes entre as suas experiências. É com este entendimento do “estar entre” que olha para o seu trabalho e o mundo, procurando elaborar, em crítica e em obra, sobre a ideia de que interseccionalidade não é sobre causalidade, é sobre relação." (Antonia Gaeta, 2022)

Entre as suas exposições e projectos individuais mais recentes estão, em 2022: Faces of Others, Galeria Belo-Galsterer, Lisboa, cur. Alda Galsterer; em 2021: Parachute, espaço VERÃO, Lisboa, cur. Antonia Gaeta; em 2017: Meet me in the middle 1 (performance), Festival Trampolim Gerador, Lisboa; em 2015: What separates us, brings us together, Casa Independente, Lisboa; em 2014: Van hier naar daar / From here to there / Daqui para ali, Espaço Arte Tranquilidade, Lisboa, cur. Maria do Mar Fazenda; e em 2012: participação na 'Largo Residência', Experimenta Design Lisboa, para os Lisbonaire apartments, Lisboa.
Realizou exposições coletivas em galerias e centros de arte de renome nos Paises Baixos, em Amsterdão e Roterdão, em Lisboa, Portugal, bem como em Los Angeles e Santa Ana nos EUA.
Van der Velden foi bolseira, por duas vezes, 2001 e em 2004 da BKVB (The Netherlands Foundation for Visual Arts, Design and Architecture).
Realizou, entre outras, as seguintes residências artísticas: Triptych, Residência Raid Projects Gallery, Los Angeles, EUA (2001); Residência ZDB, Lisboa (2013); e duas residências artísticas na RAMA residências, acompanhado por Paulo Brighenti e João Silvério (2021-2022). Em 2022 realizou a residência artística VIARCO.
O seu trabalho encontra-se representado em coleções privadas e institucionais nederlandesas e portuguesas.